1 de ago de 2011

Devorador de dragões

O dragão - besta majestosa - espreita,
acomoda suas asas da cor do poente,
aguarda.
À distância, vê o reflexo iridescente das escamas do outro dragão.
Ataca, cerra suas mandíbulas na cauda da fera, sangue prateado resvalando entre suas presas.
A fera revida.
Ouroboros duplo, cinta de Möbius, os dois monstros dançam pelo céu noturno devorando um ao outro.
E as montanhas tremem.


Nenhum comentário:

Postar um comentário